Fique por dentro das notícias e dicas

Inteligência emocional na busca por emprego

16/04/2018
  
 

Especialista aconselha manter a calma para aumentar as chances durante o processo seletivo

 

Mesmo com o mercado de trabalho dando sinais de reaquecimento – segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em janeiro as contratações formais superaram as demissões em 77.822 vagas – muitos profissionais permanecem sem emprego, alguns há bastante tempo.

 

reforma trabalhista

  

“Grande parte dos profissionais que são chamados para processos seletivos já perderam a conta de quantos currículos enviaram e por quantas entrevistas e dinâmicas passaram.

 

Pela frustração de não terem conseguido uma vaga ainda, muitos perdem a esperança e alguns até se tornam agressivos”, conta Carolina Silva, Coordenadora de RH na Luandre.

 

Segundo ela, são esses dois sentimentos que fazem com que estes profissionais, que estão fora do mercado há mais tempo, tenham menos chances de recolocação. “Já chegamos a ver casos de candidatos que discutiram com as consultoras por estarem impacientes, alegando que já passaram por muitas seleções”.

 

Essa postura, segundo ela, pode impedir sua continuidade no processo, pois revela uma tendência à falta de equilíbrio emocional. “Procuramos sempre um perfil equilibrado e motivado, independentemente da situação”, completa Carolina.

 

O quesito emocional é, às vezes, mais importante que a capacidade técnica do candidato. Segundo uma pesquisa da consultoria norte-americana TalentSmart, o QE (Quociente Emocional) pode ser mais decisivo para o sucesso na carreira do que o famoso QI (Quociente de Inteligência). O levantamento mostrou que cerca de 90% dos funcionários mais bem avaliados por seus empregadores têm uma boa gestão de suas emoções.

 

E para quem está nessa situação, a boa notícia é que sim, é possível melhorar nesse quesito, sendo o exercício de autoconhecimento um excelente começo.

 

Confira as dicas:

 

Entenda suas emoções

Reflita e tente entender o porquê de estar se sentindo ansioso, com raiva, medo. A partir disso, exercite neutralizar estes sentimentos para uma postura mais positiva e otimista.

 

Conheça suas fraquezas e forças

Estar ciente do que nos desestabiliza também é uma maneira de se fortalecer: “todos temos vulnerabilidades, então melhor focar nas qualidades, principalmente em situações que exijam mais de nós”.

 

Não se prenda 100% do tempo aos problemas

Muitas vezes a solução vem quando a mente se permite desfocar e pensar em novas possibilidades.

 

 

 

São 48 anos de experiência em RH, atuando no setor para 200 das 500 maiores empresas do Brasil. Conheça um pouco mais sobre a Luandre

 

Fonte: Mundo RH

 


Compartilhe:

 

 

 

 

Digite seu e-mail que entraremos em contato


Saiba mais sobre os serviços

Cadastre seu curriculo
Pesquisa por vagas de emprego

Aceite as politicas de privacidade Selecione o seu interesse