Fique por dentro das notícias e dicas

Pensando com a geração Z

09/03/2018
  
 

Novos profissionais chegam ao mercado de trabalho. Quem são eles?

A geração Z está chegando ao mercado de trabalho e é diferente de todas as outras gerações. Entende-se como geração Z as pessoas nascidas entre a metade da década de 1990 e o começo dos anos 2000. São pessoas que já nasceram conectadas, com a expansão do telefone celular e novas possibilidades de adquirir serviços.

 

reforma trabalhista

 

A mudança tecnológica reflete em todos os segmentos da sociedade, inclusive na busca por carreira. Estamos falando com pessoas que estão acostumadas a chamar um uber e pedem comida direto do seu celular. Essa geração que está vivenciando serviços jamais ofertados antes.

 

De acordo com uma pesquisa que foi produzida pelo Box 1824 e a McKinsey, um dos estudos pioneiros sobre a geração Z, essas pessoas se dividem nas eras de informação e conexão. Elas estão presentes em vários lugares ao mesmo tempo, tanto físicos quanto virtuais.


A geração Z também tem a seu dispor uma gama de fontes de pesquisas sobre diversos assuntos. Essas pessoas costumam procurar na internet respostas sobre as suas dúvidas.


O estudo também mostra que essa geração tem uma necessidade constante de se enquadrar em um grupo, dialogar e buscar sua verdade. Entre as principais características da geração Z estão: pragmatismo, indecisão, habilidade comunicativa, entre outras. De fato, essas pessoas têm muito a acrescentar para as empresas e já estão chegando ao mercado.


Para os gestores e profissionais de Recursos Humanos (RH), lidar com a geração Z já é uma realidade. Mas quais são os diferenciais desses profissionais?

 

Multitarefas

Se as gerações anteriores viram a internet surgir, a geração Z nasce no início de todo o processo digital. Estão conectados a todo mundo e sabem lidar com os novos aparatos tecnológicos.


Nos Estados Unidos, a geração Z representa 26% da população e tem se tornado uma preocupação para empresas que desejam atrair esse público. O estudo também mostrou que essa geração tem poder de compra estimado em 44 bilhões de dólares e deve aumentar, consideravelmente, com o passar dos anos.

 

Para as empresas, o desafio é chamar a atenção de compra de pessoas que realizam várias tarefas ao mesmo tempo – leem um livro, mexem no celular e escutam música, por exemplo.

 

Esses multitarefas também serão responsáveis por boa parte do trabalho realizado nas empresas. Renata Motone, coordenadora de RH na Luandre, empresa que oferece soluções de RH, reforça que os profissionais da geração Z têm uma facilidade maior para lidar com as novas tecnologias.


“Uma das principais diferenças entre os profissionais que já estão no mercado de trabalho para esses que estão chegando é com relação à facilidade/conhecimento tecnológico que eles possuem. Estão mais habituados a se relacionar com plataformas digitais e possuem fácil comunicação com esses meios.

 

Outra diferença é que essa nova geração vem com profissionais multitarefas, que conseguem e precisam executar várias atividades ao mesmo tempo e se frustram caso isso não ocorra”, explica Renata.

 

Mudanças

Com a facilidade nos meios digitais, a Sapore, empresa de refeições coletivas, mudou alguns processos dentro da organização. Rodrigo Paiva, responsável pelo RH da marca, diz que a empresa está sempre buscando inovação. Ao tratar dos processos, Rodrigo compreende que eles estão ligados ao capital intelectual e não apenas ao braçal.


O treinamento de profissionais na Escola Sapore também está alinhado com a inovação, para ensinar os colaboradores de uma forma mais dinâmica.

 

Busca por profissionais

A forma de adaptação dos profissionais da geração Z também mudou. Os anseios desses profissionais em relação à carreira são muito diferentes daquelas das gerações passadas.


“Percebe-se que há uma incessante busca pelo conhecimento para a inserção no mercado de trabalho e permanência neste. Outro fator que inquieta os jovens pertencentes à geração Z é a preocupação com a carreira, condição que envolvem fatores como remuneração, realização profissional e pessoal. Dessa forma, profissionais com essa âncora trocariam de organização em busca de um melhor equilíbrio entre as duas esferas, profissional e pessoal”, explica Críslei Rodrigo, Psicólogo Organizacional na Gente e Gestão RH, empresa de consultoria organizacional.


Para as empresas, também muda a forma de gestão. É preciso salientar que existem diferentes gerações dentro do ambiente de trabalho e esse fator deve ser levado em conta ao fazê-la.

 

“Vai depender de empresa para empresa, mas é importante avaliar o tempo de desenvolvimento que esse profissional terá dentro da empresa e quais tipos de desafios serão oferecidos para ele em curto e em médio prazo. Muitas vezes, profissionais com esse perfil não querem esperar muito tempo para serem promovidos, e se os desafios oferecidos não forem atraentes, perdem o interesse pela vaga facilmente”, explica Renata.


A retenção de profissionais é uma preocupação de vários empresários para fazer a empresa crescer e ter redução de custos. O motivo é que achar e treinar um profissional bom não é uma tarefa fácil e barata.

 

Na geração Z, os colaboradores visam reconhecimento mais rápido que gerações anteriores. De acordo com Rodrigo, a Sapore busca compreender o movimento geracional e está atenta às mudanças.


“Esses jovens têm mais ansiedade e querem coisas rápidas. É preciso buscar nesses profissionais pessoas que consigam olhar para gerações anteriores e tenham uma visão de novidade e longevidade”, pontua Rodrigo. De acordo com o profissional de RH, a Sapore busca profissionais que tenham propósitos próximos da empresa para mantê-los.


Para conciliar diferentes perfis geracionais nas empresas, é importante que os empresários tenham uma gestão de pessoas eficaz. “Uma das tendências mais fortes na atualidade é a organização exercer com maior força o seu papel de aconselhamento e acompanhamento das perspectivas de trabalho dos profissionais da organização”, explica Críslei. Segundo ele, o autoconhecimento e o alinhamento das perspectivas profissionais são essenciais para essa geração.

 

Além disso, o setor de RH deve ficar atento aos benefícios oferecidos. De acordo com Renata, as empresas devem incentivar os colaboradores através de promoções e do feedback em seu trabalho.

 

O convívio de diferentes gerações pode ser muito eficaz para inovações dentro de uma empresa. “Além de favorecer um clima e uma cultura organizacional voltada para a tolerância e para a cooperação, essa forma da organização do trabalho incentiva o potencial criativo de seus profissionais, favorecendo o surgimento de inovações técnicas e organizacionais”, explica Críslei.

 

Autodidatas

A forma de aprender profissões também mudou. A geração Z usa tecnologias para ler, se informar e estudar. Além disso, essas pessoas, em geral, são autodidatas.

 

Uma das mudanças na Sapore é alinhar o pensamento com a geração Z e oferecer soluções personalizadas. Esse motivo levou a empresa a ser a primeira certificada pelo Google como uma marca digital, que valoriza inovações.

 

Além do pensamento em constante mudança, a Sapore acredita que esses profissionais estão sempre buscando conteúdo a todo instante. “A grande diferença da geração Y para a Z é a busca contínua pelo aprendizado. Esses jovens têm menos paciência para coisas teóricas”, explica Rodrigo.

 

Segundo ele, é possível notar a grande facilidade dessa geração para lidar com aparatos digitais, até mesmo para buscar conhecimento. “Uma das grandes diferenças na Sapore é ser uma empresa digital, o que é valorizado pela geração Z. Acreditamos que é possível entregar alimentação com maior cuidado na produção e com as matérias-primas”, pontua Rodrigo.

 

Estudo

 

Segundo uma pesquisa feita pela Adweek, 36% da geração Z assistem aulas online, e 20% dessas pessoas leem livros em tablets e dispositivos móveis. A tecnologia também é utilizada para produção de trabalhos em grupo para 32% dessa geração, mostrando a importância de novos modelos de aprendizado presentes.

 

Fonte: Food Service News

 


 

Sobre a Luandre

Em 2018, a Luandre Soluções em Recursos Humanos completa 48 anos de atuação mantendo-se atual, dinâmica e oferecendo soluções técnicas e inovadoras na área de RH.

 

No último ano, a empresa chegou a marca de 4 mil clientes atendidos, 55 mil profissionais administrados ao longo do ano e um banco com mais de 1,2 milhões de currículos cadastrados.

 

Há 16 anos consecutivos está no Top 5 do prêmio Top Of Mind RH, no qual já se sagrou vencedora por seis vezes, sendo a última vitória no ano passado.

 

Oferecendo seus serviços a 200 das 500 maiores empresas do Brasil, a Luandre administra uma carteira de mais de 15 mil empresas clientes. Além de todo seu know-how em Recrutamento e Seleção, a empresa oferece ainda os serviços de Administração de Pessoal (Temporários e CLT), Avaliação Profissional, Outsourcing e Programas Especiais (Saúde, Varejo e Logística).

 

Fundada em 1970 em São Paulo, a Luandre tem por objetivo a excelência nos serviços e o investimento em soluções criativas, além de construir o elo entre a organização e colaborador em todas as etapas de desenvolvimento dos Recursos Humanos.

 

Atualmente, possui 11 agências em três estados, localizadas em São Paulo (Centro, Faria Lima, Santo Amaro e Lapa), Alphaville, ABC, Guarulhos, Campinas, Jundiaí, Rio de Janeiro e Curitiba que administram, em média, a contratação de 55 mil por ano para vagas de base e estratégicas em todo o mercado nacional.

 

FONTE: Tribuna do Ceará

 


Compartilhe:

 

 

 

 

Digite seu e-mail que entraremos em contato


Saiba mais sobre os serviços

Cadastre seu curriculo
Pesquisa por vagas de emprego

Aceite as politicas de privacidade Selecione o seu interesse