“Hello! Can you understand me?” Cultuado como um idioma universal, o inglês é a cada dia mais importante no ambiente corporativo. Segundo estimativas do British Council, quase 2 bilhões de pessoas se comunicam em inglês ao redor do mundo. Mas será que isso é motivo suficiente para que você comece a pedir currículo em inglês aos candidatos que desejam trabalhar na sua empresa?

Neste artigo, vamos explicar as vantagens e possíveis desvantagens dessa prática, com orientações para que você consiga atrair os melhores profissionais para seu negócio. Deixe o dicionário de lado e boa leitura!

Por que pedir currículo em inglês

“Atualmente, há um falante nativo para cada cinco falantes não-nativos, algo sem precedentes na história”, observa o especialista em linguagem David Crystal em entrevista publicada no site do British Council, organização que tem como objetivo promover o idioma culturalmente em escala global.

E a disseminação do inglês como linguagem universal pode ser percebida em diversos aspectos do cotidiano. Do manual do smartphone às convenções da Organização das Nações Unidas (ONU), o idioma surge como o grande canal de comunicação para quem deseja expandir horizontes – em especial quando falamos do mundo ocidental.

Nesse contexto de globalização, o ambiente corporativo não fica de fora. “Em algumas empresas, o funcionário precisa falar inglês a todo instante”, explica Fernando Medina, diretor de operações da Luandre, agência de empregos com 45 anos de atuação que está entre as maiores da América Latina. “Ele é necessário para montar apresentações, conversar com pessoas de outros países, mandar e-mails em inglês, etc.”

O domínio do idioma é especialmente importante em multinacionais e empresas com clientes no exterior, que trabalham com exportações e importações, mas também é valorizado no ambiente das startups, cuja cultura globalizada exige atenção a diferentes mercados, modelos de execução pautados pelo viés americano e literatura estrangeira.

Currículo em inglês permite filtrar candidatos

Ninguém melhor do que você para saber se realmente é necessário conhecer o idioma para exercer a função que está em aberto, mas é importante entender que, mesmo que essa não seja uma exigência para o bom desempenho, é possível solicitar currículos em inglês como uma estratégia para filtrar candidatos.

A lógica é simples: quando você impõe a condição de que apenas currículos redigidos em inglês serão aceitos, afasta os candidatos que não estão genuinamente interessados na vaga.

Se você já promoveu um processo de seleção, deve saber que muitas pessoas enviam currículos mesmo que não cumpram os requisitos mínimos listados na oferta de emprego. Isso acontece porque elas não leem todas as exigências e desejam aumentar as chances de serem entrevistadas a todo custo. Mas será que essas pessoas se prestariam a traduzir o currículo antes de conferir se realmente estão aptas à vaga?

Antes de terminar, é válido ressaltar que essa imposição pode acabar criando uma barreira indesejada ao diminuir demais o número de candidatos. Isso depende, é claro, do perfil da força de trabalho da região onde você está recrutando.

Uma alternativa para contornar esse problema é colocar o currículo em inglês como um grande diferencial, sem eliminar aquele candidato que, por um motivo ou outro, não possua uma versão do currículo no idioma estrangeiro.

Fonte: Destino Negócio – Vivo