Que tal trabalhar nas Olimpíadas?

 

Conheça algumas dicas para conseguir uma oportunidade durante o evento de 2016.

Dica: a corrida já começou!

 

A realização de um evento do tamanho dos Jogos Olímpicos impacta não só os milhares de espectadores e fãs do esporte, mas também quem busca novas oportunidades de emprego. O comitê Rio 2016 prevê a abertura de 80 mil vagas temporárias no estado fluminense a partir de agosto desse ano. A Luandre, consultoria de RH, que projeta um crescimento de 30% em suas posições para temporários, confirma o aumento de demanda ainda no segundo semestre desse ano. “Esse movimento já começa a se desenhar nas obras e projetos que estão em desenvolvimento para 2016. Esperamos aumento nas áreas de hotelaria, turismo, comércio, transporte e serviços de segurança e limpeza”, analisa Angelina Vinci, gerente de seleção da Luandre.

“A partir de agosto, a procura será mais acentuada e deverá continuar assim até maio de 2016”, complementa Regiane Lucas, gerente de seleção da Luandre.

 

Uma outra boa notícia é que não é só o Rio que deve sentir esse impacto positivo. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o IPEA, mais da metade dos cargos que abrirão para as Olimpíadas estará fora do estado. Isso porque cidades como São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Manaus e Salvador receberão eventos olímpicos, o que deverá movimentar o trabalho nessas regiões. “Vale lembrar que o Brasil é um país conhecido pela variedade de pontos turísticos, das praias aos grandes centros culturais, o que deverá gerar circulação de turistas e também refletir no crescimento das posições temporárias”, diz Angelina.

 

O setor do comércio também merece destaque, já que a meta prevista pelos organizadores é de atingir R$1 bilhão em vendas de artigos com o símbolo dos Jogos, aumentando assim as oportunidades para vendedores temporários. Aqueles que estão em busca de uma oportunidade devem desde já ficar atentos e, principalmente, focar em aperfeiçoamento na sua profissão. “Conhecimento avançado em inglês, que consiga entender e se fazer entender podem ter remuneração melhor, enquanto o nível básico dificilmente impacta e o salario pode acabar sendo o mesmo de quem não conhece nada do idioma”, orienta Francine Amadeu, gerente de seleção da Luandre. Vale lembrar que os Jogos Olímpicos estão relacionados a valores como competência, determinação e comprometimento, características desejadas em qualquer profissional.